Mostrando postagens com marcador Dramatização. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Dramatização. Mostrar todas as postagens

Dramatização - A Páscoa do coelhinho cinza

A Páscoa do Coelhinho Cinza


(Qual é o Verdadeiro Significado da Páscoa?)

Personagens: Coelhinho Cinza,Vovô Coelho,Comissão da páscoa (três coelhos)

Cena 1

Vovô Coelho e Coelhinho Cinza estão brincando num canto. Coelhinho Cinza tenta responder as adivinhações feitas pelo Vovô Coelho.

Coelhinho Cinza

Mais uma Vovô! Diz mais uma!

Vovô Coelho

Deixa eu ver se eu me lembro... Na minha idade a memória não ajuda... Ah, já sei! O que é, o que é: tem orelha de Coelho, rabo de coelho e não é coelho?

Coelhinho Cinza

Ah, Vovô, essa é fácil! O que tem orelha de coelho, rabo de coelho e não é um coelho? Todo mundo sabe essa!

Vovô Coelho

Ah, Coelhinho Cinza! Você sabe mesmo?

Coelhinho Cinza

(Perguntando para a platéia) Vocês sabem essa? O que tem orelha de coelho, rabo de coelho e não é um coelho? (Espera a resposta da platéia por um tempo e depois fala para o avô e para a platéia) É... uma coelha!

Vovô Coelho

Ah, Coelhinho Cinza! Você é muito esperto! Um dia vai ser um "Coelho da Páscoa"!

Coelhinho Cinza

Pergunta outra vovô!

Vovô Coelho

Essa eu quero ver: O que é, o que é: o que está no meio do ovo?

Coelhinho Cinza

(Fala para a platéia) Alguém sabe essa? (Espera a resposta da platéia por um tempo)... é a letra "v"!

Vovô Coelho

Muito bem, muito bem!

Vovô Coelho e Coelhinho Cinza podem fazer novas perguntas à platéia, "adivinhas" relacionadas a coelhos ou ovos ou páscoa.

Coelhinho Cinza

Vovô Coelho, será que eles vão me selecionar para o teste de "Coelho da Páscoa"?

Vovô Coelho

Claro, a qualquer momento vão bater à porta e vão chamar você!

Coelhinho Cinza

Verdade?

Vovô Coelho

Claro!

A campainha toca ou batem a porta, Vovô Coelho vai atender

Coelhinho Cinza

Ai, que aflição! Será que é a carta me convocando para o teste de "Coelho da Páscoa"?

Vovô Coelho volta com uma carta na mão

Vovô Coelho

Carta para o Sr. Coelhinho Cinza, urgente!

Coelhinho Cinza

Meu nome é "Coelhinho Cinza", e não "Coelhinho Cinza Urgente"!

Vovô Coelho

Ah, ah, ah! Esse meu neto!

Coelhinho Cinza

Leia para mim, vovô!

Vovô Coelho abre a carta e lê.

Vovô Coelho

(Lendo a carta) Prezado Coelhinho Cinza: você foi pré-selecionado para o teste de "Coelho da Páscoa" deste ano. Esta tarefa é muito importante e para ser escolhido precisa realizar um teste e responder qual é o verdadeiro significado da Páscoa para você. Compareça à comissão de Páscoa para realizar o teste e, quem sabe, ser aprovado. Boa sorte!

Coelhinho Cinza

Puxa vida! Como vou responder isso! Eu não sei o verdadeiro significado da Páscoa!

Vovô Coelho

Você vai ter de pesquisar e estudar sobre esse assunto!

Coelhinho Cinza

O que é "pesquisar"?

Vovô Coelho

Ora, é procurar as respostas ao que se quer saber!

Coelhinho Cinza

Procurar? Onde?

Vovô Coelho

Em todo lugar! Depende da pesquisa: pode ser em livros, pode ser em jornais, revistas ou ouvindo um programa no rádio ou na televisão... Até na Internet! Pode ser entrevistando quem conhece o assunto, por exemplo...

Coelhinho Cinza

Então vou pesquisar! Tchau, Vovô Coelho!

Coelhinho Cinza abraça o avô e sai correndo.



Coelhinho Cinza (sai correndo.Vou pesquisar na biblioteca! Tchau!

pega um dicionário e pesquisa)



Está na hora de encontrar a comissão de Páscoa e eu ainda não sei o verdadeiro significado! Aqui diz várias coisas, olhem só: (pega o livro e lê) 1- Antigamente, a Páscoa tinha o significado de libertação; 2- Páscoa, na língua hebraica é "pessach", que significa "passagem"; 3 - Festa em que se distribuem ovos. 4- Ressureição de Jesus Cristo; 5- Também, antigamente, a festa teve sua origem na volta da Primavera... 6-...

Coelhinho Cinza

Puxa! (Vira-se para a platéia e pergunta um a um a quantos espectadores quiser, alunos, colegas, professores) Qual é o verdadeiro significado da Páscoa para você?

Entram os coelhos da "Comissão de Páscoa", são 3 coelhos ao todo, O Coelho Sábio, Coelha Rosa e Coelho Azul.

Coelho Sábio

Você é o Coelhinho Cinza, não é?

Coelhinho Cinza

Sim, vim preparado para o teste, mas...

Coelho Sábio

Eu sou o Coelho Sábio, Esta é a Coelha Rosa e este é o Coelho Azul.

Todos cumprimentam Coelhinho Cinza com aperto de mãos

Coelhinho Cinza

(Começa a chorar) Eu... eu não sei a resposta, não vou poder fazer o teste!

Eles confortam Coelhinho Cinza.

Coelha Rosa

Calma! Não se preocupe, só viemos entregar uma coisa a você!

Coelho Azul

Queremos dar uma chave para você!

Coelho Sábio

Com essa chave, você aprenderá muito!

Coelhinho Cinza

(Parando de chorar) Eu... eu vou conseguir descobrir a resposta com essa chave? É uma chave mágica?

Coelha Rosa

Não! É apenas a chave do depósito de ovos de páscoa! Viemos entregar a você! Cada um de nós da comissão recolhe os ovos e guarda eles em uma caixa de cada cor no depósito de ovos de páscoa.

Coelho Azul

Todo "Coelho de Páscoa" deve mostrar que é responsável e capaz de guardar os ovos da Páscoa!

Coelho Sábio

Com essa chave, você será responsável pelos ovos de Páscoa de todo mundo! Se mostrar que pode cuidar deles, estará pronto para responder o teste sobre o verdadeiro significado da Páscoa!

Coelhinho Cinza

E se eu não consegui descobrir? Eu sou o primeiro coelho de cor cinza a fazer o teste!

Coelha Rosa

Não se preocupe, quando for o momento certo, você vai saber a resposta!

Coelho Azul

Todos nós já passamos por isso!

Coelho Sábio

Você vai conseguir, não se preocupe!

Todos os coelhos saem, Coelhinho Cinza fica só. Olha para a chave pensativamente.

Coelhinho Cinza

(Preocupado) Puxa, quanta responsabilidade! Espero que nada aconteça com os ovos, ou eu vou perder minha chance de ser um "Coelhinho da Páscoa"!

Coelhinho Cinza permanece em cena com a chave ( Se houver alguma música suave para colocar na apresentação deste texto, este é um bom momento).

Coelhinho Cinza

Eu quero me tornar um "Coelhinho da Páscoa"! Melhor é eu ir cuidar dos ovos, ver se eles estão bem guardados.

A comissão de Páscoa (Coelha Rosa, Coelho Azul e Coelho Sábio) entram correndo e gritando.

Comissão de Páscoa

Os ovos desapareceram! Os ovos desapareceram!

Coelho Cinza

Não fui eu que perdi os ovos! Eu nem cheguei perto do depósito! Ah, não! Eu devia ter ido lá, cuidar deles, e agora tudo está perdido! Eu era o responsável pelos ovos! (começa a chorar) A páscoa de todo mundo está perdida! Tudo culpa minha! Só porque eu sou diferente, sou um coelho de cor cinza tudo é diferente para mim!

Coelhinho Cinza sai correndo.

Comissão de Páscoa

Espere, Coelhinho Cinza! Não fuja!

Coelho Sábio

Vamos atrás dele! Precisamos interrogar aquele coelhinho!

Todos saem de cena.

Vovô Coelho entra em cena, tranqüilo. Logo depois Coelhinho Cinza entra em cena correndo.

Coelhinho Cinza

Vovô! Vovô! Socorro! Os ovos sumiram! Eu deixei os ovos sumirem!

Vovô Coelho

O que foi, meu neto? O que está acontecendo? Por que você está tão nervoso?

Coelhinho Cinza

A comissão... Eles... me deram uma chave... Os ovos sumiram! Eu deixei os ovos sumirem!

Vovô Coelho

Espere, explique isso direito... Você fez alguma coisa errada?

Coelhinho Cinza

(furioso) Não, mas eu sou um coelho cinza! Um coelho cinza não pode ser "Coelho da Páscoa"! Estou com muita raiva! Quero acabar com tudo se os ovos aparecessem agora eu mesmo sumiria com eles!

Vovô Coelho

Vamos com calma. Não diga bobagens, você é um ótimo coelho e a cor do pelo não é motivo para ficar se menosprezando. Você é muito responsável, você sempre cuida de mim! Além disso é muito inteligente, vai descobrir o que aconteceu com os ovos! Você deve ser como sempre foi, não deixe a tristeza e a raiva invadirem seu coração. Você é um bom coelhinho!

Coelhinho Cinza

Acha mesmo?

Vovô Coelho

Você fugiu deles?

Coelhinho Cinza

Fiquei com medo que eles pensassem que eu era o culpado de tudo... porque eu sou diferente dos outros coelhos.

Vovô Coelho

Não se preocupe, tudo vai se resolver. Vamos procurar a Comissão de Páscoa e descobrir o que aconteceu. Os ovos não podem sumir, só eles têm a chave, além de você. Vamos procurar a Comissão... e explicar-lhes que …A comemoração da Páscoa remonta das antigas festas de final do frio e escuro inverno e chegada da primavera. Em que isto poderia estar relacionado com o verdadeiro significado da Páscoa e o sumiço dos ovos?

Coelho Cinza

A Páscoa ainda é uma festa, esta é a relação, mas, para mim, pessoalmente, o fato de ser apenas um Coelhinho Cinza e poder passar a ser o "Coelho da Páscoa", também está relacionado com a passagem da escuridão para a luz, do crescimento de flores, de plantas brotando... isto tudo está relacionado ao meu crescimento, também, portanto não peguei ovos nenhum!

Comissão da páscoa

Que linda resposta! Mas confesso que eu já esperava por ela! Confio totalmente em sua capacidade para ser um "Coelho da Páscoa"!

Coelhinho Cinza

Obrigado!

A Páscoa, para os cristãos, está ligada a ressurreição de Jesus Cristo. O que isto significa para você?

Coelhinho Cinza

Eu estava indo para o caminho errado, meu coração estava no frio e na escuridão. Percebo que no meu coração, fui, por alguns instantes, mau e quis ser vingativo e acabar com tudo. Ao libertar meu coração do medo, da dor e da mágoa, fiz renascer em mim a fé e a bondade que deve mover todas as pessoas. É assim que eu vejo o significado da Páscoa para mim: o renascimento de um Coelhinho Cinza para o bem!

Coelhinho Cinza

Esperem, não acabei! Não foi só isso: descobri novos significados! Também descobri que tenho muitos amigos e a família que podem me ajudar e que a Páscoa pode ter o significado de reencontro! E descobri também que adoro dar presentes e que a Páscoa pode significar bondade! Reencontro, Amizade, Bondade, Renascimento, Passagem... cada vez descubro novos significados para mim!

Comissão da Páscoa

Parabéns! Mas, para você... qual é o verdadeiro significado?

Coelhinho Cinza

Tudo isso significa que... que... Significa que todos os significados são verdadeiros! Mesmo que isso inclua a alegria de dividir ovos de chocolate entre as crianças!

Todos

Viva o Coelhinho Cinza! Viva o "Coelho da Páscoa"!

Todos começam a cantar uma canção de páscoa

Coelhinho da páscoa o que trazes pra mim, um ovo, dois ovos, três ovos assim…

Autor Victor Sant'Anna Textos

Retirado da Internet

Dramatização - peça de teatro para Dia do Circo


O Circo chegou


Mariazinha – Pedrinho! Pedrinho! O circo vai chegar na cidade!

Pedrinho – Eu não gosto de circo, é muito chato!

Mariazinha – Você já foi no circo por acaso?

Pedrinho – Não, nunca. Mas não gosto e pronto.

Mariazinha – Você não sabe o que está perdendo. O circo é muito legal. Tem bailarina, foca, leão.

Pedrinho – Eu já vi um monte de bicho no zoológico.

Mariazinha – Mas esses bichos são treinados, sabem fazer truques.

Pedrinho – Bobeira isso!

Mariazinha – Olhe! É o circo!



Entra alguém anunciando o circo e as crianças observam.



“O circo está chegando na cidade! Venham todos! Grande espetáculo esta noite. Venham se divertir.”



Mariazinha – Oba! Vou para casa me arrumar para ir ao circo. Você vai perder o espetáculo. Tchau!

Pedrinho – (Fala para o público) Mas o que será que tem esse tal de circo? Deve ser muito chato. Mas... e se eu desse só uma olhadinha? É isso mesmo! (entusiasmado) Eu vou espiar para ver o que tem lá.



(Pedrinho sai de cena e em seguida entra novamente, já chegando ao circo).

Pedrinho – Nossa, como aqui é grande, diferente. Então esse é o tal do circo. Opa! Estou ouvindo um barulho, vou me esconder.



(Entra a bailarina, toca uma música e ela dança. Após a música, o menino se aproxima).



Pedrinho – Quem é você?

Bailarina – Sou a bailarina. Eu danço para alegrar as crianças.

Pedrinho – Puxa, parece legal. Como faz?

Bailarina – É assim, experimenta.

(Ela faz alguns passos e o menino imita, meio desajeitado).



Pedrinho – Ah, eu não sei fazer isso não. Prefiro jogar futebol.

Bailarina – Agora preciso ir, tenho que ensaiar. Até mais tarde.

Pedrinho – Adeus, linda bailarina. Ei, estou ouvindo um barulho, parece ser...um urso! (se esconde).



(Entra o urso, toca a música, ele dança e é observado pelo Pedrinho)



Urso – Garoto! Ei, garoto! Estou te vendo aí. Venha cá, vamos conversar.

Pedrinho – Tenho medo.

Urso – Ora, ora, não faço mal a ninguém. Sou adestrado.

Pedrinho – Adestrado? O que é isso?

Urso – Sou um urso ensinado (gabando-se). Faço truques, sabe?

Pedrinho – Que legal! Me ensina?

Urso – Claro! Amanhã estou de folga, apareça aqui no circo.

Pedrinho – Ta bom, vou vir mesmo.

Urso – Ih, ouviu isso? É o meu treinador me chamando. (Fala como se estivesse respondendo). Já estou indo, já estou indo.

Pedrinho – Gente, vou aprender alguns truques. Que maravilha!

Até que o circo não é tão ruim assim. Mas o que é aquilo que vem ali? Uma foca! (Se esconde).

(Entra a foca, toca a música)

Pedrinho – Oi foquinha.

Foca – Oi garoto. Qual é o seu nome?

Pedrinho – Pedrinho.

Foca – E você está visitando o circo?

Pedrinho – É, vim dar só uma espiadinha, dizem que é legal.

Foca – Aqui é muito legal! As crianças adoram.

Pedrinho – Acho que estou gostando também.

Foca – Mas você já viu o espetáculo?

Pedrinho – Ainda não. Nunca fui ao circo.

Foca – Então venha essa noite. Vai conhecer o homem que cospe fogo, a mulher barbada, os tigres adestrados, o mágico e muito mais.

Pedrinho – Estou achando demais! Vou vir sim.

Foca – Hum, está me dando uma fominha. Vou comer alguma sardinhas.

Pedrinho – Tchau, foquinha. Adorei te conhecer. Nossa, fiquei cansado, tem tanta coisa diferente nesse circo. Vou descansar um pouco aqui.



( Enquanto ele dorme, entra a pulga que fica mexendo no menino. Ele se coça enquanto dorme. Alternar, pulando pelo palco e mexendo no Pedrinho).



Pedrinho – Que coceira. Até parece que estou com... (avista a pulga) pulga!!!

Pulga – Calma, menino. Deixa eu te fazer coçar.

Pedrinho – Sai pra lá! Eu tomo banho.

Pulga – Só um pouquinho, vai. Uma coceirinha na perna.

Pedrinho – Que circo mais sujo. Está cheio de pulgas. Ninguém limpa isso aqui não?

Pulga – Há, há, há, há! Eu trabalho no circo, seu bobinho.

Pedrinho – Uma pulga trabalhando no circo? Ah, conta outra!

Pulga – Você nunca ouviu falar de circo de pulgas?

Pedrinho – Não!

Pulga – Pois as pulgas são pequeninas, mas também fazem o seu show. Aquilo passando ali não é um cachorro? Tenho que ir.

Pedrinho – Espere! Espere! Me conta mais sobre esse circo de pulgas. (Pulga sai)

(Falando para a platéia) Gente, a Mariazinha tinha razão, o circo é bem legal. Vou querer assistir a todos os espetáculos. (Entra o macaco, o cutuca e se esconde. Pedrinho olha e não vê nada, continua falando sobre as belezas do circo e o macaco repete mais duas vezes até que o menino o vê)



Pedrinho – E você, quem é?

Macaco – Sou o macaco Simão.

(Música “Macaco Simão” cd do Hamilton Catete)



Pedrinho – Sabe, macaco Simão, eu não gostava do circo, achava chato. Agora que conheci, achei fascinante.

Macaco – O circo é o espetáculo mais bonito do planeta. E vem alegrando crianças há muito tempo.

Pedrinho – É tudo alegre, colorido, bonito.

Macaco – Toda criança deve ir ao circo.

Pedrinho – Bem, eu conheci a bailarina, o urso, a foca, a pulga e agora, você macaquinho. Vou para casa me arrumar porque quero assistir todos os espetáculos. Os trapezistas, malabaristas, palhaços, o mágico... Deve ser maravilhoso.

Macaco – Tudo bem, mas já que você descobriu que o circo é muito divertido, vou chamar os meus amigos, porque agora o artista é VOCÊ!



(Entram todos os personagens e toca a música Lindo balão azul)





Teatro para o dia das mães 3

COMÉDIA DA VIDA ESCOLAR


Escrita por Gilvana Avelino( Gil)- Minha grande amiga



Apresentação: relataremos alguns fatos cotidianos da vida escolar e também de vocês mamãe.

A mãe sempre entra com o filho e o deixa na escola.

No cenário- uma pessoa sentada (diretora) atendendo ao telefone, mexendo em papéis etc..

Começa a desenrolar os fatos.

MÃE DISTRAÍDA chega e fala:

Gostaria de saber o dia da prova de Português?

Diretora: Foi ontem (responde da mesa)

Mãe: Mas ontem? Eu não sabia! O que vou fazer agora? E meu filho? Coitadinho... Deve ter ido mal pra caramba.

Diretora: Mas essa prova já estava marcada há 15 dias.

Mãe: Meu Deus! Preciso ficar mais ligada. Da próxima vez a senhora me liga um dia antes p ara avisar?

(A mãe sai preocupada com a mão na cabeça)

MÃE CALMA (entrando com o filho)

Diretora: Chamei a senhora aqui para lhe comunicar que seu filho tem ido mal nas provas, perdeu média e eu falo com ele e nem liga. Preciso da ajuda da senhora.

Mãe: I, i.i, i, i! Mas a senhora não sabe que ele é assim mesmo? Desde ano passado a professora reclama das mesmas coisas. Eu também não sei mais o que fazer, ele não me obedece. Já falei que estudar é importante, mas pelo jeito... Aaaaaa! Vê o que vocês podem fazer aí que para mim ta bom! Ele é muito pequeno ainda tem tempo!

(A mãe sai toda pensativa)

MÃE DECIDIDA (PERUA)

A mãe entra lendo um papel e fala:

Hum!HUM! Amanhã tem reunião na escola, preciso me preparar para arrasar no modelito! Aquelas professoras que me aguardem, vou chegar e abalar. Não pensem que elas vão me deixar de baixo astral só causa de algumas reclamações, nem pensar! Eu sou mais eu.

A mãe então se despede da filha (que se veste também bem “peruinha”, bolsinha, batom, cabelos arrumados, pulseiras). A professora que representou usou e abusou da “peruagem", colocou umas unhas postiças bem compridas, batons e tudo mais.

A mãe pega o celular e sai falando como se estivesse marcando cabeleireiro.

A diretora de longe só observa.

MÃE ESPORTIVA:

Entra a mãe com uns alteres na mão e roupa de ginástica dizendo:

Um, dois, um, dois! Tarefa dura é ser mãe, mas eu não abro mão da minha boa forma, já que não posso ir à academia, ela vem até mim. Abdominal enquanto varro a casa, caminhada enquanto levo as crianças para escola, alongamento enquanto espero o sinal da Saída. Essas tarefas me cansam... Mas da saúde eu não posso esquecer.

Pega na barriga dos filhos e dizem q precisam emagrecer, para filhos foram escolhidos as crianças bem magrinhas.

MÃE NERVOSA:

Chega rapidamente gritando e começa a falar:

Hoje quero fazer um “regaço” nessa escola. Bate a mão na mesa da diretora enquanto ela mexe em uns papéis.

Mãe: eu vim aqui para pedir uma explicação para a senhora e saber o porquê minha filhinha chegou toda machucada em casa?

Diretora: Eu posso...

Mãe: não pode nada, se pudesse ter feito alguma coisa não teria acontecido nada com ela.

Diretora: Mas sua filha...

Mãe: Não quero saber, só vim avisar que se não for tomado providências com quem bati na minha menininha eu mesma vou resolver. Procurarei o Conselho Tutelar, a prefeitura e até a polícia se for preciso

Diretora: A senhora...

Mãe: Não quero ouvir mais nenhuma palavra, você está avisada. Se eu voltar aqui de novo, não responsabilizo pelos meus atos.

Enquanto a mãe fala a filha fica mexendo em tudo na mesa, passa debaixo

Mãe: Não quero ouvir mais nenhuma palavra, você está avisada. Se eu voltar aqui de novo, não responsabilizo pelos meus atos.

Enquanto a mãe fala a filha fica mexendo em tudo na mesa, passa debaixo da mesa pula sem parar. Escolher uma criança bem grande e se possível a mãe baixa.

A mãe se despede da filha e sai nervosa, resmungando. A diretora fica com cara de samambaia.



MÃE ATRASADA: Chega andando depressa e puxando uma bolsa de carrinho seu filho sai correndo na frente dizendo q o portão já vai fechar.

Mãe: Desculpe-me, mas outra vez estou chegando atrasada, também com tudo o que me aconteceu hoje pudera... O cachorro latiu a noite toda e amanheceu doente não dormi direito, meu relógio não despertou, o gás acabou bem na hora de fazer o café...

Diretora: Meu Deus!

Mãe: A senhora acha que acabou? Fala filho o que mais aconteceu...

Filho: Bem na hora que fui tomar banho o chuveiro queimou.

Mãe: A van? Não passou e pra piorar o pneu do carro estava furado. Ah, não! Assim não dá! Sabe de uma coisa acho que sou azarada e não atrasada. Vem cá filhinho dá só, mas um beijinho na mamãe... ( beija, beija, beija e sai)

No meio do caminho se lembra de algo e fala:

Faz um favor pede pra professora colocar ele sentado na frente, não gosto que sente atrás.

Diretora: Qualquer semelhança com fatos, pessoas e acontecimentos terá sido mera coincidência.

Ao final da peça as personagens são chamadas e entram em desfile e lê-se a mensagem:

Se as mães fossem perfeitas não seriam tão boas, um dia elas vão entender isso e parar de se esforçar para alcançar a perfeição. Mães sempre querem o melhor para seus filhos, mesmo que para isso tenha que passar de um extremo ao outro.

Mãe é frágil e ao mesmo tempo fera, é luz, é bondade, e essa mistura de atitudes e sentimentos é que fazem com que vocês sejam tão especiais em nossas vidas e principalmente na vida de seus filhos, afinal: AMOR PERFEITO É AMOR DE MÃE.

PARABÉNS

Sonoplastia

Cada mãe tinha sua sonoplastia que era colocada assim que ela entrava como não me lembro do nome da música vou deixar aqui um trecho de cada.

MÃE DISTRAÍDA: “Eu ando sempre no mundo da lua...”

MÃE CALMA: “Ando devagar porque já tive pressa e trago esse sorriso porque já chorei demais...”

MÃE DECIDIDA (PERUA): “Eu vou passar batom, eu vou ficar bonita...” Kelly Key

MÃE ESPORTIVA: “Gordurinha, gordurão vai saindo de montão”... Xuxa

MÃE NERVOSA: “Isso me dá tique- tique nervoso, tique- tique nervos”

MÃE PROTETORA: “Amor sem beijinho, Bochecha sem Claudinho, sou assim sem você...”

MÃE ATRASADA: “Devagar, devagarinho” Martinho da Vila



ESPERO QUE GOSTEM! A PEÇA FOI UM SUCESSO, POIS AS MÃES SE DIVERTIRAM E REFLETIRAM AO MESMO TEMPO.

As personagens foram feitas pelas professoras cada fez em seu turno e os filhos foram alunos.



Uma dica para ser feita pelos menores: o professor narra a peça e as crianças encenam.

Ao final é oferecido um lanche em cada sala (que é fornecido pela prefeitura) e foram feitas novas apresentações cada um em sua sala, deu muito certo.

Priscila





Teatro para o dia das mães 2

Mãe é outra coisa


de Emílio Carlos



PERSONAGENS



- Mãe

- Julinho

- Raquel

- Paulinho

- Narrador



(Entra a Mãe, espanando a casa, roupa de faxina)



NARRADOR - Mãe é outra coisa. Mãe manda a gente tomar banho...



MÃE – Julinho, vai tomar banho.



(Entra Julinho, roupa suja do jogo de futebol)



JULINHO – Ah manhê! Deixa eu ver TV...



MÃE – (mais enfática) Vai tomar banho!



JULINHO – Mas mãe... (tira os tênis e deixa no caminho)



MÃE – (vai com o espanador pra cima dele) Xô, xô, xô...



JULINHO – (sai) Ai, ai.



NARRADOR - ... e a gente vai. Depois chama a gente de volta.



MÃE – (vê os tênis) Julinho! Volte aqui nesse momento!



JULINHO – (voltando) Peraí: é pra ir ou pra voltar.



MÃE – Era pra ir. Mas agora é pra voltar. O que que é isso aqui? (aponta os tênis)



JULINHO – Meus tênis, mãe.



MÃE – Cata.

JULINHO – (faz manha) Ô mãe. Eu tô com dor nas costas de tanto jogar bola.



MÃE – Cata.



JULINHO – E se eu não quiser?



MÃE – (pega-o pela orelha) Cata do mesmo jeito.



JULINHO – Ai, ui, ai. Tá bom, mãe. (pega o tênis) Mais alguma coisa, madame?



MÃE – Banho!



JULINHO – Tá bom...



MÃE – E não use esse tom comigo, mocinho.



JULINHO – (saindo) Falô, véia...



MÃE – Véia é o seu passado, cara de pastel.



NARRADOR – Mãe pega a gente no flagrante.



(Entra Raquel cantarolando, toda arrumada pra sair)



RAQUEL – (música a escolher)



MÃE – Posso saber onde a senhorita vai?



RAQUEL – Pô mãe: vou na balada.



MÃE – Sexta-feira à noite?



RAQUEL – É, por que?



MÃE – Por causa da escola.



RAQUEL – Ah, mãe: Sexta-feira é feriado.



MÃE – Sério? Em qual calendário?



RAQUEL – No meu.



MÃE – Pois no meu não é. Já pra aula mocinha.



RAQUEL – Ah, mãe.



MÃE – E tira essas coisas daqui (tira a bolsinha dela e mais um enfeite de cabelo espalhafatoso).



RAQUEL – Ai, ai.



MÃE – Uniforme, força!



RAQUEL – Puxa vida, viu? Eu não posso fazer o que eu quero...



MÃE – Pode sim.



RAQUEL – Sério?



MÃE – Claro: quando você for casada e tiver seus filhos. Agora xô!



(Raquel sai cantarolando trecho da escrava Isaura)

NARRADOR – Mãe sabe de tudo.



(Entra Paulinho, meio mancando, com o boné tapando um dos olhos, mas tentando disfarçar. A mãe só olha).



MÃE – O que aconteceu?



PAULINHO – Nada não, mãe.



MÃE – Fala.



PAULINHO – Falar o que?



MÃE – O que aconteceu.



PAULINHO – Pisei em falso, só isso.



MÃE – E o olho?



PAULINHO – Nova moda. Boné nos zóio.



MÃE – Ah, boné nos “zóio”. Deixa eu ver.



PAULINHO – (tenta se esquivar) Não tem nada pra ver.



MÃE – Eu te conheço desde antes de você nascer, menino. Deixa eu ver.



PAULINHO – Ah, mãe...



NARRADOR – Não adianta mentir. É verdade: ela te conhece antes de você nascer.



MÃE – Deixa eu ver isso aqui. (tira o boné = aparece um olho roxo) O que que é isso, meu filho?



PAULINHO – Bati no portão de casa.



MÃE – (examinando o olho) Sei. E o portão tem nome: Tonhão.



PAULINHO – Como é que você sabe?



MÃE – Eu te falei, meu filho: deixa a namorada do cara em paz. Mas você me ouviu? Não. Vamos lá pra dentro botar um remedinho.



(vão saindo)

PAULINHO – Ô mãe: eu não sou mais criança.



NARRADOR – Correção: pras mães a gente sempre vai ser criança. No começo a gente estranha, mas depois acostuma. Porque no fim, fala a verdade: ter uma mãe por perto é coisa boa toda vida.



(Entra a mãe e Julinho atrás, com uma meia rasgada na mão)



JULINHO – Ô mãe: costura minha meia. (se aproxima da mãe)



(volta Paulinho)



PAULINHO – Ô mãe: aqui também tá machucado (ergue a perna da bermuda e o joelho tá todo ralado. Se aproxima da mãe).



(Entra Raquel e vai chorar no ombro da mãe)



RAQUEL – Mãe: o Flávio terminou comigo...



(Os três ficam bem juntos dela e ela abraça os 3)



NARRADOR – Por isso, se você ainda tem mãe, dê um abraço nela hoje. Escute mais sua mãe. Porque você não sabe até quando ela vai estar por aqui.



Os Três – Feliz dia das Mães! (beijam a mãe)



(música de final)





Teatro para o dia das mães

TEATRO PARA O DIA DAS MÃES






AUTOR DAS PEÇAS DE TEATRO: Emílio Carlos



Dia das Mães

de Emílio Carlos



(As criança entram. Cada criança faz uma fala. Outra opção é todas falarem juntas. Enquanto falam elas fazem gestos de mímica que ilustrem o que elas estão falando).

(Música: dedilhado de guitarra/violão ou de teclado)



Quando eu era bem pequeno

Ainda era neném

Eu morava dentro da sua barriga

E queria muito lhe conhecer



Eu ficava pensando

Como será que você era

Se era magra ou fofinha

Se era azul ou amarela



Você me dava carinho

Você me dava atenção

Passava a mão na barriga

E aquilo era muito bom



Eu vivia andando por aí

Com você pra todo lugar

Porque você é muito dinâmica

Não é de sentar e parar



O esquisito era quando

Aquele médico passava um gelzinho

E queria, curioso,

Ficar olhando meu rostinho



Nessa hora eu tinha vergonha

E até virava de lado

- Ei dá licença, olha pra lá

Não vê que eu estou pelado?



O tempo passou e eu

Fui ficando maiorzinho

E aí dentro, que era tão gostoso,

Começou a ficar apertadinho



Então eu fiquei sabendo

Que era hora de nascer

Fiquei naquela dúvida

Mas eu queria te ver



Papai do Céu tinha falado

Que um anjo eu ia ter

Mas esqueceu de dizer

Que esse anjo era você.



(Nessa hora as crianças entregam botões de rosa para as mães que estão sentadas na frente, e para as outras mães. Música em homenagem às mães.)





Dramatização - o ciclo da água






PERSONAGENS:


Vários alunos.


DESENVOLVIMENTO


1ª Personagem — Uma menina representando a Água


FALA:


— Há, como é triste ser Água...!


— Fui feita para matar a sede, limpar, lavar, repor energia, dar vida!


— Vejam como estou agora:


* Fraca, cada vez mais poluída, indefesa.


— Não sei o que fazer!


2 ª Personagem – Um menino, representando um Ecologista


FALA:


— É amiga Água , tenho brigado muito para te defender, mas são poucos os que me escutam.


Alguns homens se reúnem, discutem, falam em te proteger, que estão preocupados em evitar que te maltratem tanto, que acabes sumindo da terra, mas são muitos, os que não estão, nem ai para você.


— Não fique triste minha amiga, eu vou continuar lutando para despertar nos homens, a consciência pela tua importância. Mostrar para eles que sem você é impossível a vida na terra, para qualquer ser vivo.


3ª Personagem – (Menino ou menina) O Sol


FALA:


— É, eu estou decepcionado com a humanidade.


— Agora, com a escassez de água, tenho que aumentar o meu calor.


— Não consigo me controlar.


— Estou fazendo mal a terra, sem querer.


2ª FALA DA ÁGUA


— Vejam meus amigos, já não consigo nem se quer seguir meu ciclo normalmente, pois falta EU, a água, muitas vezes...


— Eu tenho que estar nos corpos para sair no suor.


-- Eu tenho que esta nas plantas e nos animais, para sair em vapor


-- Tenho subir para a atmosfera, ser aquecida pelo meu amigo SOL, virar nuvens fofinhas.


--Tenho que ficar geladinha, pesada, tão pesada que desço de lá como chuva, há como é gostosa essa brincadeira, trás vida e felicidade aos seres vivos.


— Por favor!!! Cuidem de mim, eu não quero acabar, e chora.


RETORNAM AO PALCO: O SOL, ECOLOGISTAS E OUTROS PERSONAGENS.


Ao redor da água, começam a cantar:


A Água é minha amiga


Com ela posso contar


Pra lavar e tomar banho


E minha sede matar


Vamos todos protegê-la


E a natureza preservar


Resgatar suas a nascente


Para ela não faltar


Não fique triste amiga Água


De você vamos cuidar


Conscientizar a humanidade


Para a vida que nos dar.


TRÊS DICAS PARA PROTEGER A ÁGUA


1ª Não deixar a torneira aberta enquanto escovar os dentes;


2ª Não demorar no banho;


3ª Não desperdiçar água ao lavar carros e calçadas.


VOCÊ SABIA?


Que lavar roupa em um tanque por 15 minutos, consome 135 litros de água.


Solução: Juntar roupa na água para lavar de uma só vez e enxaguar todas ao mesmo tempo sem a torneira o tempo todo aberta.


Escovar os dentes em 5 minutos com a torneira aberta, gasta 80 litros de água.


Solução: Se fechar a torneira em quanto escova os dentes. economizará 79 litros de água.


Um banho de chuveiro de 30 minutos consome 243 litros de água.


Solução: Fechando o registro enquanto nos ensaboamos, gastaremos apenas 81 livros de água.


Lavar a louça por 15 minutos com a torneira aberta, gastamos 243 litros de água.


Solução: Fechar a torneira para ensaboar a louça gastaremos 20 litros de água

















Cantata de Natal - Um rei diferente

( PARA SER ENCENADA / TEATRO)

Narrador: (começa a música). Esta é a história do nascimento de um Rei. Prometido por Deus, anunciado por profetas e anjos, e esperado por muita gente. Nasceu pobre, na estrebaria de uma cidadezinha lá longe, chamada Belém. Seu bercinho era um cocho, onde os animais comiam. Sem prata, sem ouro, sem glórias. Não teve súditos para mandar, teve amigos. No lugar de um cetro, apenas mãos estendidas para dar e acolher. Esta é a historia do nascimento de um Rei, que fez da sua vida, principalmente de sua morte, o bem supremo da humanidade. É a historia do nascimento de um Rei cujo reinado é eterno, sem fim. Um Rei diferente!



MUSICA:



UM REI DIFERENTE



Dentre as palhas nasceu o Rei menino Jesus.

Veio para ser a nossa paz.

Veio para ser nossa luz.

Dentre as palhas nasceu o Rei menino Jesus.

Veio nos dar o seu perdão.

Veio trazer salvação.



Pequena vila tão pobre em Belém.

Quem poderia pensar que um lugar

Tão humilde pudesse o Rei embalar?



Dentre as palhas nasceu o Rei menino Jesus.

Veio para ser a nossa paz.

Veio para ser nossa luz.

Dentre as palhas nasceu o Rei menino Jesus.

Veio nos dar o seu perdão.

Veio trazer salvação.



A manjedoura por berço tomou,

Teve por trono a cruz.

Uma coroa de espinhos usou.

Rei diferente é Jesus.



 (Maria está sentada e o anjo entra)



Narrador: (começa a música). E no sexto mês foi o anjo Gabriel, enviado por Deus, a uma cidade da Galiléia chamada Nazaré, para falar com Maria. E entrando o anjo onde ela estava disse-lhe: Salve, agraciada; o Senhor é contigo. Bendita és tu entre as mulheres. Quando Maria viu o anjo, ficou com medo e confusa; e perguntou para si mesma: o que está acontecendo? E o anjo, vendo-a assustada, disse-lhe:
MÚSICA:

NÃO TEMA

(anjo)

Não tema, ó, Maria, com o que vou lhe dizer.

Dentre todas as donzelas, a escolhida foi você.

Pra dar à luz a quem Emanuel se chamará,

pois Ele do pecado o seu povo livrará.



(Maria)

Um pouco assustada eu confesso que estou.

Mas me sinto agraciada porque Deus me contemplou.

Darei à luz então quero saber como será.



(anjo)

O Espírito de Deus um milagre em ti fará.



(coral)

Emanuel, Deus conosco sempre está.

Emanuel, o seu povo livrará.

Emanuel, sempre pronto pra salvar.

Emanuel, Ele assim se chamará.

Emanuel, Deus conosco sempre está.

Emanuel, o seu povo livrará.

Emanuel, sempre pronto pra salvar.

Emanuel, Emanuel, Emanuel,

para sempre, ele assim se chamará.



 (O anjo sai pra trás e Maria desce para encontrar José).



 ( Entra José e Maria indo para a estrebaria).



Narrador: (começa a música). Aconteceu naqueles dias que o imperador César Augusto decretou que cada um se alistasse em sua própria cidade. E subiram da Galiléia para Belém, José, e Maria que estava grávida, a fim de se alistarem. E estando eles ali, chegou o dia de Maria dar a luz.

MÚSICA:



O ALISTAMENTO



Corre então José, corre Maria e vão logo se alistar.

Já levantam cedo bem cedinho, pois precisam viajar.

Não tem carro nem motocicleta, nem metrô nem avião.

Um humilde e lento jumentinho será sua condução.



O imperador César Augusto uma ordem assim deu:

Cada um se aliste, bem depressa, na cidade onde nasceu.

Correm, correm, correm bem depressa, pois precisam

encontrar

nas hospedarias da aldeia um lugar para ficar.



Mesmo cansados de tanto andar, não conseguiram achar.

Na estrebaria, estranho lugar, foram então, se alojar.

Pobre Maria se acomodou e logo foi preparar

o berço do seu querido bebê que logo iria chegar.

Corre então, José, corre Maria e vão logo se alistar.

Já levantam cedo, bem cedinho, pois precisam viajar.







 (Os pastores entram antes da narração).



 (Na hora da narração entra o anjo).





Narrador: Naquela noite, alguns pastores estavam no campo e guardavam os seus rebanhos; quando, de repente, (começa a música) apareceu-lhes um anjo que cercou de brilho da glória do Senhor.



 (Os pastores saem indo em direção à estrebaria).



MÚSICA:



GLÓRIA A DEUS NAS ALTURAS



Glória a Deus nas alturas!

Na terra aos homens, paz.

Glória a Deus nas alturas e boa vontade.



Não temam, queridos pastores.

A Deus rendam Glória e louvor.

Por que em Belém da Judéia nasceu Jesus Rei, Salvador.

Com panos agasalhado em uma manjedoura o verão.

Pois este é o sinal que vai lhes mostrar Jesus Cristo a salvação.



Narrador: E os pastores disseram uns aos outros: vamos, vamos até Belém ver esta coisa que aconteceu, a respeito da qual o Senhor nos falou.



Glória a Deus nas alturas!

Na terra aos homens, paz.

Glória a Deus nas alturas e boa vontade.

Com seus corações radiantes, pastores ficaram também.

Depressa deixaram o campo e foram ver o neném.

Maravilhados estavam e a notícia assim se espalhou.

A todos contavam, com grande alegria, que o Rei prometido chegou.



Glória a Deus nas alturas!

Na terra aos homens, paz.

Glória a Deus nas alturas e boa vontade.



(e boa vontade, e boa vontade, e boa vontade.)



 (Os magos entram pela porta da frente indo até a estrebaria).



Narrador: Quando Jesus nasceu, alguns magos foram das distantes terras do Oriente até Belém para adorá-lo. Eles formam guiados por uma estrela, até que, chegando, a estrela parou sobre o lugar, onde estava o menino. Eles ficaram muito alegres (começa a musica), e, ao entrar, acharam o pequeno Rei com sua mãe Maria.



MÚSICA:









OS MAGOS



De longe viemos para ao Rei adorar.

Presentes trazemos para lhe ofertar.

Pois, também queremos compartilhar

da alegria de ver quem nos veio salvar.



De todos os reis, Tu és o primeiro.

Os outros reinados são passageiros.

Por entre desertos té aqui chegar.

Brilhante estrela sempre anos guiar.

Pequena criança, só tu levarás.

os filhos de Deus ao seu reino de paz.



Ó vinde adoremos ao nosso Senhor.



Narrador: (começa a música). A noite estava calma. Lá fora só se ouvia o cantar dos grilos sob o céu estrelado. Sobre a estrebaria reluzia uma estrela especial, pois lá dentro estava o pequenino Rei dormindo em seu bercinho. Enquanto isso, Maria, José e os pastores não paravam de admirá-lo. Seus corações estavam cheios de fé e alegria, porque viram no pequenino bebe o cumprimento de uma promessa feita por Deus há milhares de anos: A promessa da salvação.



MÚSICA:



UM MENINO NASCEU



Pois um menino nos nasceu.

De Deus o Filho se nos deu.



Maravilhoso, Conselheiro,

Deus Forte sei que és.

Pai da eternidade, Príncipe da Paz.



Pois um menino nos nasceu.

De Deus o Filho se nos deu.



Dorme em paz ó, linda criança.

Sono tranqüilo e bom.

Plano perfeito és de Deus.

Pra nossa redenção.



Pois um menino nos nasceu.

De Deus o Filho se nos deu.



 (Os magos e os pastores saem).



 Na última música todos os personagens cantam com o coro.



Narrador: E assim, pastores e magos voltaram para suas casas, felizes, pois conheceram o pequeno Rei. Eles estavam maravilhados, pois sabiam que ele era um Rei diferente. Hoje, esse Rei nos convida a celebrar o seu Natal de modo diferente das pessoas que não o conhecem. Ele nos convida a sermos pessoas diferentes e a fazermos diferença no mundo onde vivemos. Afinal, Ele é um Rei diferente.


Dinâmica - o presente

O Presente:
O organizador pode escolher como presente alguma guloseima como uma caixa de bombom com o mesmo número de participantes, ou outro que possa ser distribuído uniformemente no final da dinâmica. Este presente deve ser leve e de fácil manejo pois irá passar de mão em mão. Tente embrulhá-lo bem atrativo com um papel bonito e brilhante para aumentar o interesse dos participantes em ganhá-lo.


Disposição e local: os participantes devem estar em roda ou descontraidamente próximos.



Início: O organizador com o presente nas mãos diz (exemplo): Caros amigos, eu gostaria de aproveitar este momento para satisfazer um desejo que há muito venho querendo fazer. Eu queria presentear uma pessoa muito especial que durante o ano foi uma grande amiga e companheira e quem eu amo muito. Abraça a pessoa e entrega o presente. Em seguida pede um pouquinho de silência e lê o parágrafo 1:



1. PARABÉNS!

*Você tem muita sorte. Foi premiado com este presente. Somente o amor e não o ódio é capaz de curar o mundo. Observe os amigos em torno e passe o presente que recebeu para quem você acha mais ALEGRE.

Ao repassar o presente, a pessoa que recebe deve ouvir o parágrafo 2 e assim por diante:

2. ALEGRIA! ALEGRIA!

Hoje é festa, pessoas como você transmitem otimismo e alto astral. Parabéns, com sua alegria passe o presente a quem acha mais INTELIGENTE.

3. A inteligência nos foi dada por Deus. Parabéns por ter encontrado espaço para demonstrar este talento, pois muitas pessoas são inteligentes e a sociedade, com seus bloqueios de desigualdade, impede que eles desenvolvam sua própria inteligência. Mas o presente ainda não é seu. Passe-o a quem lhe transmite PAZ.

4. O mundo inteiro clama por paz e você gratuitamente transmite esta tão grande riqueza. Parabéns! Você está fazendo falta às grandes potências do mundo, responsáveis por tantos conflitos entre a humanidade. Com muita Paz, passe o presente a quem você considera AMIGO.

5. Diz uma música de Milton Nascimento, que "amigo é coisa para se guardar do lado esquerdo do peito, dentro do coração". Parabéns por ser amigo, mas o presente. . . ainda não é seu. Passe-o a quem você considera DINÂMICO.

6. Dinamismo é fortaleza, coragem, compromisso e irradia energia. Seja sempre agente multiplicador de boas idéias e boas ações em seu meio. Parabéns! Mas passe o presente a quem acha mais SOLIDÁRIO.

7. Parabéns! Você prova ser continuador e seguidor dos ensinamentos de CRISTO. Solidariedade é de grande valor. Olhe para os amigos e passe o presente a quem você considera ELEGANTE (bonito, etc...).

8. Parabéns! Elegância (beleza, etc...) completa a criação humana e sua presença torna-se marcante, mas o presente ainda não será seu, passe-o a quem você acha mais SEXY.

9. Parabéns! A sensualidade torna a presença ainda mais marcante e atraente. Mas o presente não será seu. Passe-o a quem você acha mais OTIMISTA.

10. Otimista é aquele que sabe superar todos os obstáculos com alegria, esperando o melhor da vida e transmite aos outros a certeza de dias melhores. Parabéns por você ser uma pessoa otimista! É bom conviver com você, mas o presente ainda não será seu. Passe-o a quem você acha COMPETENTE.



11. Competentes são pessoas capazes de fazer bem todas as atividades a elas confiadas e em todos os empreendimentos são bem sucedidas, porque foram bem preparadas para a vida. Essas são pessoas competentes como você. Mas o presente ainda não é seu. Passe-o a quem você considera CARIDOSO.

12. A caridade é como diz São Paulo aos Coríntios: "ainda que eu falasse a língua dos anjos, se não tiver caridade sou como o bronze, que soa mesmo que conhecesse todos os mistérios, toda a ciência, mesmo que tomasse a fé para transportar montanhas, se não tiver caridade de nada valeria. A caridade é paciente, não busca seus próprios interesses e está sempre pronta a ajudar, a socorrer. Tudo desculpa, tudo crê, tudo suporta, tudo perdoa". Você que é assim tão perfeito na caridade, merece o presente. Mas mesmo assim, passe o presente a quem você acha PRESTATIVO.

13. Prestativo é aquele que serve a todos com boa vontade e está sempre pronto a qualquer sacrifício para servir. São pessoas agradáveis e todos se sentem bem em conviver. Você bem merece o presente. Mas ele ainda não é seu. Passe-o a quem você acha que é um ARTISTA.

14. Você que tem o dom da Arte e sabe transformar tudo, dando beleza, luz, vida, harmonia a tudo que toca. Sabe suavizar e dar alegria a tudo que faz. Admiramos você que é realmente um artista, mas o presente ainda não é seu. Passe-o a quem você acha que tem FÉ.

15. Fé é o dom que vem de Deus. Feliz de você que tem fé, pois com ela você suporta tudo, espera e confia porque sabe que Deus virá em socorro nas horas difíceis e poderá ser feliz. Diz o salmo 26 " O Senhor é a minha luz e minha salvação, de quem terei medo?" Se você acredita e espera tanto de Deus, sabe também esperar e ter fé nos homens e na vida e assim será feliz. Mas o presente não é seu, pois você não precisa dele. Passe-o a quem você acha que tem o espírito de LIDERANÇA.

16. Líderes são pessoas que sabem guiar, orientar e dirigir pessoas ou grupos, com capacidade, dinamismo e segurança. Junto de você que é líder sentimos seguros e confiamos em tudo o que você diz e resolve fazer. Confiamos muito em você, que é líder, mas o presente ainda não é seu. Passe-o a quem você acha mais JUSTO.

17. Justiça! Foi o que Cristo mais pediu para o seu povo e por isso foi crucificado. Mas não desanime. Ser justo é colaborar com a transformação de nossa sociedade. Mas já que você é muito justo, não vai querer o presente só para você. Abra e distribua com todos, desejando-lhes FELICIDADES !

E assim o presente é distribuído entre todos !


Apresentação em formatura

Como organizar



.Coloque a musica What a wonderful world na voz de Louis Armstrong ou Imagine na voz de John Lennon ou outra a seu gosto.


Narrador:


Todos nós sonhamos com um mundo diferente, um mundo m ais fraterno, mais justo, onde todos se respeitem e se amem,teremos agora, um momento de reflexão sobre a paz que todos nós desejamos.


No palco estão cinco crianças segurando corações, que nos lembram o amor, sentimento tão lindo e desejado por todos nós.


.O coração verde representa os povos da África (a criança levanta o coração). Essa cor simboliza o verde das florestas africanas.


.As Américas, na cor vermelha (a criança levanta o coração) refere-se os índios como primeiros habitantes.


.A Oceania, na cor azul, (a criança levanta o coração), refere-se às inúmeras ilhas espalhadas pelas águas do Oceano Pacífico.


.A Ásia, na cor amarela (a criança levanta o coração) representa a terra do sol nascente, o berço do sol poente,


.A Europa, na cor branca,(a criança levanta o coração) para nós hoje representa a paz.


(Para confeccionar os corações basta fazê-los com papel dupla face vermelho e escrever o nome de cada continente ao centro dele.


.Quatro crianças entram pelo centro do local da festa carregando:


1ª e 2ª criança: faixa branca com os dizeres:PAZ SIM, VIOLÊNCIA NÃO!


3ª criança: globo terrestre


4ª criança : pombo branco (vivo)


Ao chegarem ao palco, devem posicionar-se a seu critério, e, junto com as crianças que representam os cinco continentes, dizem em coro, pausadamente, levantando os objetos que seguram.


SOMOS O AMANHÃ!


SOMOS O FUTURO!


NÓS QUEREMOS A PAZ.


JUNTEM-SE A NÓS PARA REPEPIR


O QUE DIZ A FAIXA BRANCA:


PAZ SIM! VIOLÊNCIA NÃO!


.A criança que segura o pombo, nesta hora, solta-o elevando os braços para o alto. As outras abaixam os corações e o globo até a altura do peito. Somente as duas crianças que seguram a faixa permanecem com os braços para o alto, para que todos possam ler e falar junto com as crianças: Paz sim, violência não!

Baixe o modelo em documento de word no botão download:



Dramatização - Fada do Outono

A FADA DO OUTONO







NARRADOR: A vida corria tranqüila naquele povoado. Manuel fazia o pão como todos os dias. Carolina vendia o peixe como todos os dias. Alexandre, o carteiro, fazia a entrega das cartas, como todos os dias. Só algo parecia ser diferente, era a Casa dos Três Pinheiros. Tratava-se de uma formosa construcão do século passado que estava abandonada, e até havia quem dizia que ali vivia um fantasma. Pois bem, nesta casa estava se passando algo muito estranho. Pela tarde, na saída da escola, Bruno e Luís voltavam à casa pelo caminho do bosque, eram as últimas tardes do verão e eles gostavam de escutar os passáros e ver os bichinhos que ali viviam.


BRUNO: É uma pena que o verão está terminando, Não é, Luís?


LUÍS: Sim, mas as outras estacões tambén são formosas. Ei Bruno, parece que tem alguém nos Três Pinheiros!


BRUNO: Que estranho. Quem andará por aí ?


LUÍS: Vai ver que tem um fantasma lá.


NARRADOR: Os meninos foram se aproximando da mansão.


LUÍS: Olha, Bruno, estou ficando com um pouco de medo.


BRUNO: Não tenha medo! Certamente é alguém acabou de se mudar. Venha, vamos ver !


NARRADOR: Bruno e Luís se aproximaram de uma janela que estava entreaberta, e olharam para o interior, ali viram a uma formosa mulher que cantarolava uma melodia enquanto cozinhava.


BRUNO: Está vendo! É o que eu disse! É uma nova vizinha.


FADA: Olá garotos ! Entrem, entrem.


NARRADOR: Os meninos entraram na casa e viram que não parecia que estava tantos anos abandonada; tinha almofadas, cortinas e os movéis não tinham nem um cisco de pó.


LUÍS: Tudo está tão lindo! Você deve ter tido muito trabalho para deixar tudo isto limpo !


FADA: É verdade... Mas sentem e comam uma tortinha , venha são para vocês.


Meninos: Para nós? Mas, Como? Se você não sabia que a gente vinha. Ou sabia ?


FADA: Como não ia saber se eu sei de tudo.


Meninos: Tudo ?


FADA: Eu sou Tiana, a Fada do Outono.


MENINOS: Uma fada! Nós nunca vimos uma.


NARRADOR: Tiana trouxe um prato com muitas tortinhas de todas as cores, que pareciam cochichar.


LUÍS: Ah, que bonitas! Podemos comer ?


FADA: Mas é claro ! Para isso as fiz.


NARRADOR: Os garotos se aproximaram do prato para comer uma tortinha quando escutaram uns murmúrios.


TORTINHAS: A mim , a mim, comam a mim. Não eu,eu quero ser comida primeira. Shhhhh, calada, calada.


NARRADOR: As tortinhas falavam !


LUÍS: Mas, estas tortinhas falam ! São tortinhas de fada e são mágicas.


BRUNO: Mágicas ? e o que fazem ?


FADA:Ensinam a amar o outono. Recordas que eu sou uma fada do outono , eu sacudo as árvores com a minha varinha para que as folhas caiam, e vou pintando o bosque de cores douradas com um pincel mágico.


NARRADOR: Bruno e Luís estavam entusiasmados, e olhavam tudo as suas voltas e encima de um armário viram três potes que pareciam ser de ouro.


LUÍS: Que potes tão bonitos ! O que guardas aí?


NARRADOR: Tiana baixou os potes con muito cuidado e colocou em cima da mesa.


FADA: Neste primeiro guardo o vento do outono.


MENINOS: Uauuuuu !


FADA: No segundo guardo as primeiras chuvas do outono, e no terceiro guardo os raios do sol de outono.


BRUNO: Que bonito é o outono !


LUÍS: E para que os guardas aí ?


FADA: Quando o verão está terminando , eu levanto as tampas dos três potes, e deixo sair o vento, a chuva e os raios de sol.


BRUNO: Pois sim, o outono vai ser bonito.


FADA: Todas estacões são bonitas, só é preciso que se pare e dê uma olhada ao redor.


NARRADOR: Bruno e Luís , compreenderam que o outono também era bonito. Correram para a casa , e quando chegou o outono aproveitaram o vento, os raios do sol...e até a chuva.